07 de julho de 2015, por Camila Luz

Em 7 de julho de 1990, Cazuza, considerado um dos maiores letristas da música brasileira, perdeu a batalha para a AIDS.

Hoje, Cazuza teria 58 anos

25 anos depois, o artista ainda é lembrado pelo seu papel fundamental na história do rock brasileiro. Agenor de Miranda Araújo Neto nasceu em 4 de abril de 1958, no Rio de Janeiro. Seu pai, João Araújo, fundou a gravadora Som Livre. Nomes importantes da música, como Gilberto Gil, Elis Regina, Caetano Veloso, Jair Rodrigues e os Novos Baianos transitavam com frequência pela casa da família, tornando o convivo com esses gênios algo trivial na vida de Cazuza.

New Order anuncia colaborações de Iggy Pop, Brandon Flowers e La Roux em novo álbum

Durante a adolescência, foi rebelde e debochado. Foi, também, sensível e tímido. A mistura dessas características deu origem ao artista que começou a florescer no Barão Vermelho, com um rock rasgado, e amadureceu na carreira solo.

Com o Barão, compondo principalmente em parceria com o amigo Frejat, produziu sucessos como “Maior Abandonado”, “Down em Mim” e “Todo Amor que Houver Nessa Vida”. O terceiro disco de estúdio da banda, “Maior Abandonado”, rendeu um Disco de Ouro e, como consequência, o quinteto foi convidado para tocar no Rock in Rio de 1985.

Na época, o Barão Vermelho fez um sucesso estrondoso, mas era Cazuza quem estava em evidência. Caetano Veloso, durante um show, cantou “Todo Amor que Houver Nessa Vida” e classificou o autor como “o melhor poeta de sua geração”.

Infeliz com as limitações de estilo impostas pela banda, resolveu seguir carreira solo. Essa decisão foi sábia, pois deu espaço para uma fase brilhante: passou a apostar em um som mais limpo, investindo em melodias próximas da MPB e em letras delicadas. “Exagerado”, um dos seus maiores hits, e “Codinome Beija-Flor” são dessa fase.

“Ideologia”, “O Tempo Não Pára” e “Faz Parte do Meu Show” fazem parte dos últimos momentos de sua carreira, quando já estava fraco e debilitado pela AIDS.

Em 2004, sua biografia ganhou as telonas em “Cazuza – O Tempo Não Pára”, com Daniel de Oliveira arrasando no papel principal.

O músico também foi homenageado no Rock in Rio de 2013 e recentemente, em 2015. Neste ano, em comemoração ao Dia dos Namorados, a Vivo lançou um vídeo embalado pelo sucesso “Exagerado“. Cazuza é um cupido com a missão de unir casais apaixonados na Terra. Olha só, que gracinha:clique aqui

Hoje, 7 de julho, é dia de lamentar a morte prematura deste grande artista. Mas também é dia de comemorar o seu legado!

No comments

You can be the first one to leave a comment.

Leave a Reply

ERROR: si-captcha.php plugin says captcha_library not found.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>